O poder dos acessórios


Texto de Alex dos Santos, publicado na revista Home Theater & Casa Digital. Confira na página original aqui.

O que você faria se descobrisse que seu receiver ou amplificador, player e caixas acústicas podem apresentar melhor rendimento se estiver ligado a algum tipo de acessório? O leitor mais atento logo pensou em cabos de boa qualidade, fundamentais para conduzir o sinal elétrico com total neutralidade e eficiente blindagem. Além de uma instalação criteriosa e com rigor técnico, há soluções facilmente encontradas em lojas especializadas que podem fazer valer ainda mais o investimento em um sistema de alta fidelidade.

Não se trata de preciosismo. Itens como pedestais, spikes, bases, conversores, purificadores de rede e cabos de força são indispensáveis para quem almeja um palco sonoro tridimensional, com melhoria notável no espaço entre instrumentos e vocais, combinada a um som livre de ruídos indesejáveis. A seguir, veremos que cada um desses acessórios tem uma função específica, porém o mesmo objetivo: extrair a melhor performance do seu equipamento.

PEDESTAIS

De nada adianta optar por uma linha de caixas bookshelf refinada se a instalação for em um móvel. Em vez das caixas dividirem espaço com livros e objetos de decoração na prateleira da estante, experimente apoiá-las sobre pedestais. E, claro, livres de qualquer obstáculo em sua volta, especialmente se houver duto de ar traseiro, mantendo o correto alinhamento – 2m de distância entre si – e altura, de 1m a 1m20 em relação ao piso.

O resultado prático é imediato: cria-se um palco sonoro com maior espacialidade e torna a profundidade sonora bem mais consistente. Ao reduzir no gabinete as vibrações geradas pela movimentação do cone da caixa, o pedestal também evita que essa onda deformada interfira na reprodução das frequências, ocasionando o que chamamos de “coloração”.

O usuário ganha ainda mais flexibilidade no posicionamento das caixas, algo quase impossível quando se está em um móvel. No caso das caixas surround, é importante que o pedestal não fique rente ao sofá. Deve-se respeitar uma distância mínima com relação aos ouvintes, além de uma altura num ponto acima do ouvido dos espectadores, a partir de 1m60. Feitos em aço carbono, há pedestais com ajustes de altura e outros mais altos indicados para caixas traseiras.

Embora o velcro autoadesivo cause algum dano à parte inferior do gabinete, é recomendável usá-lo para fixação da bookshelf, evitando que despenque acidentalmente do pedestal numa residência com crianças e animais. Aironflex e ELG produzem modelos acessíveis, enquanto a marca inglesa Target Hi-Fi (distribuída pela Audio Shop) tem suporte para caixa central de grande porte. Fabricantes de caixas, como Focal, Paradigm e Sonus Faber, também oferecem pedestais para suas linhas.

SPIKES

Muitas vezes desprezado, esse tipo de acessório é fundamental para dissipar as ressonâncias geradas pela caixa sobre o piso. Assim como o contrário: evitar que vibrações geradas no ambiente, no caso de um subwoofer, por exemplo, possam interferir negativamente na reprodução sonora. Os spikes são capazes de reduzir ou até anular a vibração entre o pedestal e o piso, ou entre a caixa e o piso, diminuindo a área de contato mecânico. Por isso, devem ser instalados sob caixas torre, subwoofers e pedestais.

Como são rosqueáveis, permitem regulagem de altura mesmo quando o chão apresenta alguma imperfeição ou desnível, propiciando maior segurança. Linhas de caixas torre high-end de alguns fabricantes, como a B&W, trazem na embalagem um jogo de quatro spikes polidos e apoios de borracha siliconada. Se a instalação das caixas ou pedestais for em piso frio, utilize spikes com sapatas ou apoios de borracha, que garantem maior estabilidade e bom isolamento da caixa às ressonâncias.

BASES ANTI-RESSONANTES

Entusiastas de áudio high-end valorizam bases e suportes especiais destinados a eliminar vibrações causadas pelos próprios equipamentos. A americana Nordost, fabricante de cabos e acessórios de alto padrão, tem se notabilizado pelos estudos desse fenômeno tão comum. A empresa oferece dispositivos de controle de ressonâncias feitos em alumínio, bronze e cerâmica. A ideia é reduzir a energia mecânica gerada no próprio sistema, melhorando características como resolução tonal e faixa dinâmica.

O acessório Sort Kone age contra as vibrações geradas por circuitos de áudio e fontes de alimentação, que causam erros de temporização e prejudicam a reprodução sonora fiel. Podem ser utilizados três ou quatro dispositivos embaixo do chassi de aparelhos eletrônicos. Com a mesma premissa, o acessório Sort Füt substitui spikes ou ponteiras sob caixas, pedestais e racks para eliminar vibrações excessivas e direcioná-las direto para o “terra”, reduzindo distorções.

Com o intuito de cancelar ressonâncias causadas por vibrações externas em equipamentos e caixas, a empresa nacional By Knirsch aposta em bandejas anti-ressonantes acopladas em MDF, alumínio e granito. Solução mais sofisticada é oferecida pela americana PS Audio, com o Power Base, que combina base de isolamento e condicionador de energia.

DAC’s

Com a proliferação de dispositivos portáteis e música digital em formato de compressão sem perdas, como FLAC ou ALAC, o conversor digital-analógico deixou de ser um acessório supérfluo em áudio. O sinal digital extraído de um computador, servidor de mídia, player ou dock passa a ser processado e transformado em analógico, através de um conversor 24-bit de alta precisão. Ao acrescentar um DAC entre a fonte de sinal e o pré-amplificador ou receiver, é possível reduzir distorções e obter maior detalhamento sonoro.

Empresas como Bryston, Cambridge Audio, Electrocompaniet, Meridian e Wadia oferecem modelos de diferentes especificações (192kHz ou 96kHz) e características. Muitos são compactos, trazem função de pré-amplificação para uso com fones de ouvido de baixa sensibilidade, além de conexões USB e até de rede (LAN).

CABOS DE FORÇA

É o acessório que hoje causa mais controvérsia entre especialistas e consumidores. Como pode um cabo de alimentação fazer a diferença na reprodução sonora? É o tipo de produto em que apenas um teste prático em um show-room high-end poderá convencer os mais céticos. Além de admitir alta capacidade de corrente (entre 15 e 60 ampéres), um cabo de força especial é projetado com geometria diferenciada, na maioria das vezes patenteada pelo fabricante. Utiliza condutores de cobre sólido (ou semi-sólido) de alta pureza, soldados a conectores robustos com contatos banhados a ouro ou prata para maior condutividade. Possui blindagem contra ruídos de radiofrequência e influências eletromagnéticas.

Com uma rede condicionada, o cabo de força especial pode entregar corrente livre de interferências e degradação para players, amplificadores e prés, melhorando o detalhamento, a dinâmica e a resposta aos transientes musicais. Marcas como Audioquest, Monster, Nordost, PS Audio e Supra oferecem esse tipo de cabo.

PURIFICADORES DE ENERGIA

Para os audiófilos, um sistema de áudio high-end alimentado por uma rede elétrica limpa é o ponto de partida para garantir um som livre de ruídos de fundo, chiados e sem compressão. Não é raro o investimento em sofisticados condicionadores e reguladores de energia saltar os milhares de reais, como o modelo MPC1500, da McIntosh. Mas é sabido que um bom tratamento só terá melhor resultado se começar por um circuito elétrico independente com um eficiente aterramento.

Se você é daqueles que torcem o nariz para filtros de rede, no mercado é possível encontrar purificadores (ou harmonizadores) de energia compactos que renovam a corrente para os equipamentos. O Qv2, da Nordost, introduz na rede uma onda de frequências de 50Hz ou 60Hz, restaurando a energia com uma senóide correta. Já o Noise Harvester, da PS Audio, visa eliminar ruídos por meio de um capacitor que armazena a energia espúria para dissipá-la em forma de luz. Ambos devem ser conectados em qualquer tomada associada ao sistema, incluindo régua ou condicionador de energia.

SUPORTES PARA CAIXAS

O suporte para caixa de pequeno porte (satélites) tem finalidade parecida à de um pedestal: evitar ressonância no próprio gabinete durante a reprodução, além de garantir segurança na instalação. Quem possui um sistema com satélites e decidiu instalar a caixa na parede já deve ter ouvido um som típico de abelha durante uma reprodução em alto volume. Essa distorção costuma ocorrer porque o gabinete da caixa está encostado no fio e na parede. Experimente instalar um suporte e verá o desempenho da caixinha melhorar substancialmente com um som mais limpo. A maioria dos acessórios possibilita movimentos de rotação, giro e inclinação, além de ocultar o cabo da caixa.